ARTIGOS    


 
- Vamos entender o que é remediação e seus métodos? -
 
Todas as exigências impostas aos revendedores de combustíveis para obtenção da licença ambiental, tais como documentos, alvarás, obras civis e troca de equipamentos tornam-se pequenas quando é detectado vazamento nos equipamentos, como tanques de combustíveis, linhas de distribuição, filtros de diesel etc. Dependendo do nível de contaminação do solo por hidrocarbonetos de petróleo e de quanto o lençol freático foi atingido, a remediação pode consumir anos para ser concluída. O tempo exato dependerá, entre outros, de uma série de fatores, como a extensão da contaminação, as características específicas dos meios atingidos, do sistema de remediação a ser implantado etc.
É importante o revendedor entender que após a confirmação da contaminação, deverão ser desenvolvidas no local as etapas de investigação detalhada, avaliação de risco e se necessário a remediação. Nos casos em que é detectada a presença de fase livre sobrenadante no aqüífero, os órgãos aconselham a adoção de medidas em caráter emergencial para sua eliminação, paralelamente ao processo de investigação detalhada e, posteriormente, a apresentação de um plano definitivo da recuperação e completa eliminação da fase livre.
Vejamos algumas das principais técnicas para remediação de solo contaminado em postos de combustíveis.

EXTRAÇàO MULTI-FÍSICA (MPE) OU BIOSLURPING

A Extração Multi-fásica (MPE), tecnologia de remediação no local também conhecida como extração de fase dupla e bioslurping, consiste no bombeamento para a remoção de produto em fase livre, água subterrânea com compostos dissolvidos e vapor do solo. Além de eficiente nesse processo, essa técnica reduz a concentração de hidrocarbonetos na zona não saturada do solo.

EXTRAÇàO DE VAPORES NO SOLO (IN SITU)

Recomendada para vazamentos de produtos mais leves, como a gasolina, essa técnica diminui a concentração, na zona não saturada, de compostos voláteis que fazem parte da constituição dos hidrocarbonetos. O método se baseia na aplicação de uma pressão negativa (vácuo) sobre a zona não saturada, promovendo a extração de vapores orgânicos.

BIOVENTlNG (BIOVENTILAà‡ÍO)

É uma tecnologia que estimula a biodegradação natural in-situ dos hidrocarbonetos de petróleo no solo, especialmente o diesel, por meio do fornecimento de oxigênio para os microorganismos. Essa técnica está voltada para o tratamento apenas do solo (zona não saturada) e pode ser baseada tanto na injeção como na extração de ar do solo. Entretanto, alguns fatores podem limitar a aplicação da biodegradação, como baixa permeabilidade do solo, baixa umidade etc.


AIR SPARGING E BIOSPARGING

Ambas as técnicas utilizam a injeção de ar na água subterrânea (zona saturada). O air sparging introduz ar no aqüífero contaminado produzindo borbulhamento da água, o qual provoca por arraste a remoção dos contaminantes da água subterrânea por volatização. O biosparging injeta ar em menor quantidade, produzindo a volatização dos compostos em menor escala. O principal objetivo é aumentar a biodegradação dos hidrocarbonetos dissolvidos na água subterrânea.

E porque o revendedor tem de saber sobre estas definiçõs e métodos?
Tenho visto muitas consultorias cobrar o que bem quiser, ao revendedor. Sem discutir se é o método correto, ou apresentar alternativas mais fáceis e se o custo benefício é exeqüível.
É bom à  revenda estar ciente dos seus direitos e começar a questionar suas consultorias os trabalhos a serem realizados,ficar sem saber o que esta acontecendo ,é brincar com o bolso. A Gestão Ambiental do seu posto tem fazer parte do dia a dia das tomadas de decisão administrativa.
 

Roberto Roche
é Pós-Doutor em Biogeoquímica Ambiental, Universidade de Aberdeen - Escócia; Doutor em Bioquímica Ambiental, Universidade Católica de Los Angeles-USA; MBA em Gestão Ambiental, Universidade de Harvard-USA; Mestre em Química Ambiental, Universidade do Texas A&M-USA; Ecologia Matemática, Universidade de Maryland/UFRJ-USA; Conselheiro do CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente pela CNC/ Fecombustíveis; Auditor e Perito Ambiental junto ao Ministério Público; Membro da Comissão de Certificação Técnica Ambiental para postos de combustível – Comissão Brasileira de Certificação (INMETRO/CONAMA); Membro da Comissão de Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Instituto Brasileiro de Petróleo.

 

      Outros Artigos

    
Venda de imóvel e contaminação ambiental '
Gestão Ambiental,um meio eficaz para economizar custos .
O Município e a Questão Ambiental
Riscos Ambientais
Meio Ambiente X Indústria X Sociedade
Contaminação das aguas sbterreâneas por vazamento de combustíveis
Passivo e seu custo ambiental.
ISO 14000 não é o suficiente , e o Desempenho Ambiental ?
Se não cuidarem da nossa água, Vai valer mais que petróleo!!!!!!!
Passivo Ambiental.
A responsabilidade Civil Ambiental do revendedor em relação à  remediação em sua área.
Auditoria Ambiental de aquisição necessidade para o revendedor, na hora da compra de um posto.
A Ética Ambiental das Empresas.
A responsabilidade dos sócios sobre as questõs ambientais
Passivo Ambiental. O que fazer quando ele aparece na sua empresa?
Auditoria Ambiental e Gestão Empresarial
Sistema de Gestão e Proteção Ambiental
Vamos entender o que é remediação e seus métodos?
Comprei um posto com um passivo ambiental. E agora?
Gerenciando custos ambientais do seu posto , reciclagem da agua,ja pensou neste assunto?

 

        Total de Artigos Cadastrados: 37

TOPO^     
 
 
        © - Roberto Roche e Associados - Desenvolvido por Marti WebDesign - Desenvolvimento de sites e portais.